Presidente destaca produção científica brasileira

Prêmio Jovem Cientista Presidente destaca posição científica brasileira em relação ao Primeiro Mundo FHC cobra mais registros de patente

O presidente Fernando Henrique Cardoso, ao entregar ontem os prêmios Jovem Cientista e Cientista do Futuro pelo sétimo ano consecutivo, fez um balanço dos avanços científicos e tecnológicos registrados no Brasil durante seus dois mandatos.

Para o presidente, o Brasil está se aproximando do desenvolvimento científico dos países do primeiro mundo. “Quando olhamos para um grande grupo de países, alguns deles já desenvolvidos, nós vemos que a produção científica e tecnológica no Brasil caminhou bastante, sobretudo a científica”, disse o presidente.

Quanto à pesquisa tecnológica, ele ressaltou a questão de patentes: “Temos que registrar mais patentes”, afirmou, referindo-se ao fato de que os pesquisadores brasileiros ainda não desenvolveram o hábito de patentear seu inventos, inovações e aperfeiçoamentos tecnológicos.

O presidente disse esperar que o Congresso Nacional aprove o mais rápido possível a Lei de Inovação Tecnológica. “A aprovação da lei é fundamental para recuperar o atraso que existe hoje entre o desenvolvimento científico e tecnológico”, destacou FHC, dirigindo-se aos dirigentes de empresas presentes.

A lei autoriza a parceria entre empresas privadas e universidades públicas em prol da ciência e tecnologia no País. O projeto de lei facilita a interação entre universidades e empresas que estejam investindo em inovação tecnológica. Entre as propostas contidas na lei, está a do professor universitário poder se licenciar do cargo por 5 anos para assessorar pesquisas.

Hoje, o prazo máximo permitido é de até dois anos. “Não pode haver um isolamento. Por um lado, a universidade, por outro lado a empresa. Nem é possível transformar a universidade em empresa, nem a empresa é universidade, mas temos de possibilitar a complementaridade”, ressaltou o presidente.

Acesso à internet é mostrado como avanço para o País

O presidente também destacou o número de brasileiros que possuem acesso à Internet: em 1996, eram 170 mil usuários e, em 2001, 12 milhões. Além disso, Fernando Henrique ressaltou a entrega de declarações de imposto de renda pela Internet, meio já utilizado por 95% dos contribuintes.

“Nisso (Imposto de Renda), nós somos imbatíveis”, enfatizou, arrancando risos da platéia. Estava referindo-se ao fato de que em uso otimizado dos computadores domésticos os brasileiros levam vantagem sobre cidadãos de todo o mundo, inclusive para votar em eleições.

O Brasil está entre os três países em desenvolvimento que mais cresceram em termos sociais na década de 90. Os dados são da pesquisa feita pelo Banco Mundial e citada pelo ministro da Fazenda Pedro Malan, ontem, no seminário internacional Estratégias para a Superação da Pobreza, promovido pela Secretaria de Estado e Assistência Social do Ministério da Previdência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA TAMBÉM