Autor: Bruno

Como Usar a Nota do ENEM para Entrar na FaculdadeComo Usar a Nota do ENEM para Entrar na Faculdade

Saiba como usar a nota do Enem para entrar na faculdade. Muitos querem fazer esse exame para terem essa oportunidade, mas as dúvidas sobre como o procedimento funciona e quais programas podem ser usados é recorrente. Confira aqui as informações sobre como usar a nota do Enem para entrar na faculdade.

O Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM 2021 – permite que o aluno ingresso em cursos de nível superior e também em cursos técnicos. Aqui iremos focar as instruções para aqueles que possuem interesse em acessar os cursos de graduação/licenciatura, saiba como é possível através da sua nota do exame.

Exame Nacional do Ensino Médio

O Enem se tornou um dos programas educacionais mais importantes para a educação brasileira. Ele foi criado pelo Governo Federal e passou por algumas alterações nos últimos anos, mas o ideal é que o aluno saiba quais são as oportunidades vinculadas ao mesmo.

A grande maioria dos candidatos possuem uma limitação de achar que o ENEM 2021 permite o ingresso apenas os cursos superiores, mas por meio dele também é possível acessar cursos técnicos, através do Sisutec, por exemplo. Entender para que serve o Enem é um passo muito importante na vida de quem vai prestar esse exame.

Abaixo mencionamos quais são os programas que aceitam a nota do ENEM:

  • ProUni;
  • Sisutec;
  • Sisu;
  • FIES.

Esses são alguns programas que aceitam a nota da prova do ENEM como critério de seleção e permite que o candidato garanta a sua vaga, caso seu desempenho tenha sido bom e acima da nota de corte.

Entrar na faculdade com a nota do Enem é o sonho da maioria das pessoas, mas para isso é necessário entender como procedimento funciona e quais são os programas que possibilitam que isso aconteça. O ProUni é um dos mais conhecidos, mas além dele, também temos outras oportunidades.

Como Usar a Nota do ENEM para Entrar na Faculdade

Usar a nota do ENEM para entrar na faculdade está entre os objetivos da maioria dos estudantes que participam desse exame todos os anos. Abaixo deixamos listados os programas que aceitam a nota do ENEM como critério de seleção para aprovar os candidatos nas vagas para os cursos superiores:

  • ProUni: Programa Universidade para todos, por meio dele, o candidato consegue bolsas integrais ou parciais para ter acesso à educação superior nas instituições privadas;
  • FIES: Financiamento Estudantil, através da nota do ENEM o candidato consegue fazer o seu financiamento para ter acesso ao curso superior das instituições privadas;
  • Sisu: Sistema de Seleção Unificada, por meio dele as instituições públicas de ensino superior disponibilizam vagas para candidatos que participaram do Enem.

Estudar com antecedência para o Enem permite que você obtém o conhecimento necessário para fazer uma prova de qualidade. Dessa forma, não deixa de investir nos seus estudos e faça sua programação diária para se dedicar as matérias que serão cobradas nas duas etapas desse exame.

 

Quem tem direito a isenção da taxa de inscrição do ENEM?Quem tem direito a isenção da taxa de inscrição do ENEM?

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma avaliação que permite a distribuição de vagas no ensino superior para instituições públicas e privadas. Para participar do mesmo é preciso se inscrever online e pagar a taxa de inscrição, mas você sabia que existem algumas circunstâncias que tornam o participante isento da taxa? Confira a seguir quem tem direito a isenção da taxa de inscrição do Enem:

Como você já sabe, para se inscrever no ENEM é preciso concluir corretamente a sua inscrição. Alguns estudantes fazem o exame como treineiros, e quem quer concorrer as bolsas de estudo deve ter concluído o ensino médio. Mas em qualquer uma das situações, o processo de inscrição é o mesmo.

Está planejando participar da próxima versão do exame? Então você não pode deixar de conferir a inscrição ENEM 2021 e garantir a sua participação!

Quem é isento da taxa de inscrição?

Se inscrever no ENEM não é gratuito e o valor de inscrição pode mudar de ano para ano. Em sua última versão o valor era de R$ 82. Mas como mencionamos, há algumas pessoas que tem direito a pedir isenção da taxa da prova do Enem. Você sabe quem são?

De acordo com as regras previstas por lei, são isentos:

  • Estudantes de escola pública;
  • Estudantes de escola particular na condição de bolsista integral;
  • Jovens e adultos inscritos no Cadúnico, beneficiados por programas sociais;
  • Aprovados no Encceja, Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos e conseguiu, no ano anterior ao exame em questão.

Como pedir a isenção no ENEM?

Você deve ter muito cuidado com o prazo de requerimento de isenção. Por vezes, pode ser necessário declarar a sua situação muito antes, então verifique as datas para não perder o prazo.

Para requirir a isenção, você deve acessar a página de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio e clicar no botão Isenção Enem 2021. Você será direcionado para outra página, na qual deverá informar seus dados pessoais, como por exemplo, número de CPF e data de nascimento. Também será necessário que você responda à questão das figuras, devendo clicar na opção requerida pelo sistema.

Feito isto, verifique as quatro situações mencionadas anteriormente e todas as informações que você precisa saber sobre elas. Se você se adequar a alguma das isenções e prossiga informando os seus dados. Será necessário que você preencha um formulário com dados socioeconômicos e comprove legalmente tudo que declarar nele. Depois é só concluir seu cadastro e enviar a sua solicitação!

Como saber quantas parcelas do Seguro Desemprego eu tenho direito?Como saber quantas parcelas do Seguro Desemprego eu tenho direito?

Quem ficou desempregado recentemente ou quem está identificando sinais de uma possível demissão, precisa estar atento aos seus direitos a partir daí. Um desses direitos é o seguro desemprego, que permite o pagamento de algumas parcelas do seu salário após a demissão. Mas quantas parcelas do seguro será que você tem direito. Leia o texto a seguir e entenda o benefício:

O que é o seguro desemprego?

Ao ser desligado de uma empresa sem a apresentação de justa causa, o funcionário passa a ter direito a algumas regalias importantes. Estamos falando do saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, a rescisão e o seguro desemprego, benefícios muito importantes para quem acabou de voltar para a concorrência do mercado de trabalho.

O seguro desemprego é um benefício proporcionado pela CLT, que permite o pagamento de algumas parcelas de um auxílio para o funcionário recém desligado da empresa. O valor a ser concedido ao trabalhador depende da remuneração anterior dele, devendo ser equivalente a essa quantia.

Vale mencionar que o servidor pode chegar a perder o direito ao saque se descumprir com as regras do seguro desemprego. Começar a trabalhar com a carteira assinada novamente ou emitir dados irregulares para receber o benefício, pode levar a perda do auxílio.

Como solicitar?

Quem está pensando em solicitar o auxílio, deve estar se perguntando como receber e quem tem direito ao Seguro Desemprego. Bem, antes é necessário fazer a solicitação do seguro. Para agendar o seu atendimento, é possível ligar para o telefone 158 responsável pelos postos de trabalho.

Para os contribuintes que preferem ser atendidos através do SINE ou da Caixa Econômica Federal, vale a pena lembrar que não é necessário realizar o agendamento, uma vez que as senhas que dão acesso ao atendimento são distribuídas no próprio local.

O trabalhador deve comparecer com seus documentos pessoais, assim como aqueles relacionados ao trabalho e a habilitação do seguro desemprego.

Quantas parcelas você irá receber?

Se você está precisando solicitar o valor do seguro desemprego, mas não está de acordo com os requisitos abaixo, vale a pena conferir algumas oportunidades através do empregador web. Confira a seguir as condições necessárias.

  • Para ter acesso ao número mínimo de parcelas, equivalente a 3 meses, o trabalhador precisa ter exercido função através da CLT por 9 meses.
  • Para ter acesso a 4 parcelas, o tempo de serviço estimado varia entre 8 e 12 meses.
  • Para ter acesso ao número máximo de parcelas, equivalente a 5 mensalidades, o trabalhador deve ter cumprido, pelo menos, 24 meses de carteira assinada.

Como organizar as finanças no fim e início do anoComo organizar as finanças no fim e início do ano

Os meses de dezembro e janeiro são sem dúvida os meses mais agitados do ano. Durante esse período, há preparação para festas como natal e ano novo. Em seguida, período de férias escolares. Mas como nem tudo são flores, as dívidas e impostos batem à porta. Regularizar as contas atrasadas até o fim do ano é a melhor forma de não começar o ano seguinte totalmente no vermelho.

Planejamento é essencial

Traçar metas e objetivos para o próximo ano auxiliam na execução de todas as suas vontades, e diminuem as chances de perder o controle sobre as finanças.

O planejamento para o pagamento correto das contas de casa, como: água, luz, telefone, internet, mercado, plano de saúde e etc. Tudo isso já é um passo importante para um ano financeiramente de sucesso.

As despesas tributárias, que não podem ser esquecidas, também devem estar descritas nesse planejamento. Por exemplo: parcelas do IPTU e IPVA, valor do licenciamento 2021, declaração do Imposto de Renda e tantos outros.

Colocar no papel quais serão os gastos mensais, é uma maneira de se antecipar com os gastos que são fixos. Como esses que foram citados acima. Dessa forma, torna-se possível prever onde sobra e falta dinheiro.

Faça também o pagamento do Licenciamento 2021 SP.

Poupar vale a pena!

Depois de fazer o planejamento financeiro, preenchido com a renda de cada membro da família e os gastos previstos. Fica mais claro enxergar as quantias que podem ser aproveitadas. Nada é “sobra”, e pode se tornar investimento.

Se todos os 12 meses, conseguir poupar de R$100 à R$200, no fim do ano terá em média R$1.400 – R$2.400. Levando em consideração que esse dinheiro não será guardado em banco ou investido.

Com intervenção bancária, o dinheiro poupado rende algo a mais. Pode representar pouco, mas já faz diferença.

Esse valor pode ser usado, por exemplo, na compra dos presentes de natal, viagem de fim de ano, material escolar, ou investimento em si próprio.

Quando procurar ajuda?

Se o trabalhador for fichado em carteira, o fim do ano pode trazer surpresas boas como o 13° salário. Um complemento da renda mensal.

É indicado que a família, ou a pessoa individualmente, busque por ajuda quando perceber que está entrando em uma crise financeira. Se no fim do mês não sobrar nenhum valor, e ficar negativado.

Se antecipar, conversar com um especialista antes do fim de um ano e início do outro, ajuda a “respirar” nessa nova fase que vai começar.

 

Notícias da Semana (24/set)Notícias da Semana (24/set)

A jornalista, advogada e escritora Maria Augusta dos Santos começa a colher os frutos do trabalho literário a que vem se dedicando nos  últimos anos. Com vários títulos lançados – “Sangue na Pedra”, “Fuga na Mata Atlântica” e outros -, Maria Augusta tem participado ativamente das grandes feiras periódicas de livros, no Rio, São Paulo e Bahia e realizado palestras para jovens, principais leitores de suas histórias cheias de ação e imaginação.

Por tudo isso, Maria Augusta acaba de ser empossada na cadeira no 5 da Academia Panamericana de Letras e Artes, presidida por Francisco Silva Nobre, com discurso inspirado e graciosamente proferido pela acadêmica Marilza de Castro.

Propósito

Waldyr Mattos escreve da capital francesa, de onde está chegando:

“Pela sexta vez em Paris e pela quarta vez pinto a Notre Dame (ocre, violeta, vermelha e agora amarela). Continuo com o propósito de fazer duas exposições no ano que vem. De restaurantes – já pintei 28 – e uma retrospectiva (…)”.

Waldyr soma até o momento 1.561 trabalhos e mantém em seu poder cerca de 200, compreendendo todas as suas diferentes fases. O que permitirá, se ele quiser, fazer uma exposição rememorativa sem depender de colecionadores ou instituições públicas e privadas, ou dos muitos amigos que possuem obras de sua autoria.

Ambulantes

Até os anos 60 eram comuns nos subúrbios e bairros do Rio os vendedores de legumes e frutas, peixes, galinhas, perus e outras  mercadorias. As donas de casa estavam acostumadas a receber na porta os alimentos fresquinhos, vindos das hortas e dos quintais, sem as embalagens de plástico, filas de caixa e outras consequências das mudanças na rotina delas com o advento dos supermercados. Saudosismo vale?

Pois os velhos tempos foram fixados em aquarela pelo mestre pintor Armando Vianna, que em 1965, no seu atelier do Estácio, fez uma série de quadros (12 ao todo) retratando os vendedores de rua, que atraíam a freguesia com seus típicos pregões. Hoje só existem à venda três desses trabalhos: “O Vendedor de Perus”, “O Peixeiro” e “O Verdureiro”. Três pedaços da memória do século XX.

Gopista

Está agindo no Rio um golpista com sotaque sulista, que se diz
empresário ou fazendeiro, de meia idade. Bem vestido e com modos
cavalheirescos, apresenta-se como interessado em fazer negócio com comerciantes – mulheres sozinhas, de preferência – que estejam
passando seu espaço comercial. Depois de dar a palavra de  compromisso e marcar o dia seguinte para fechamento do acordo e entrega do valor acertado, arma uma cena de perda de documentos, dinheiro e óculos, supostamente num táxi, e quase sempre consegue um “empréstimo”da vítima, que nunca mais porá os olhos nele.

Presidente destaca produção científica brasileiraPresidente destaca produção científica brasileira

Prêmio Jovem Cientista Presidente destaca posição científica brasileira em relação ao Primeiro Mundo FHC cobra mais registros de patente

O presidente Fernando Henrique Cardoso, ao entregar ontem os prêmios Jovem Cientista e Cientista do Futuro pelo sétimo ano consecutivo, fez um balanço dos avanços científicos e tecnológicos registrados no Brasil durante seus dois mandatos.

Para o presidente, o Brasil está se aproximando do desenvolvimento científico dos países do primeiro mundo. “Quando olhamos para um grande grupo de países, alguns deles já desenvolvidos, nós vemos que a produção científica e tecnológica no Brasil caminhou bastante, sobretudo a científica”, disse o presidente.

Quanto à pesquisa tecnológica, ele ressaltou a questão de patentes: “Temos que registrar mais patentes”, afirmou, referindo-se ao fato de que os pesquisadores brasileiros ainda não desenvolveram o hábito de patentear seu inventos, inovações e aperfeiçoamentos tecnológicos.

O presidente disse esperar que o Congresso Nacional aprove o mais rápido possível a Lei de Inovação Tecnológica. “A aprovação da lei é fundamental para recuperar o atraso que existe hoje entre o desenvolvimento científico e tecnológico”, destacou FHC, dirigindo-se aos dirigentes de empresas presentes.

A lei autoriza a parceria entre empresas privadas e universidades públicas em prol da ciência e tecnologia no País. O projeto de lei facilita a interação entre universidades e empresas que estejam investindo em inovação tecnológica. Entre as propostas contidas na lei, está a do professor universitário poder se licenciar do cargo por 5 anos para assessorar pesquisas.

Hoje, o prazo máximo permitido é de até dois anos. “Não pode haver um isolamento. Por um lado, a universidade, por outro lado a empresa. Nem é possível transformar a universidade em empresa, nem a empresa é universidade, mas temos de possibilitar a complementaridade”, ressaltou o presidente.

Acesso à internet é mostrado como avanço para o País

O presidente também destacou o número de brasileiros que possuem acesso à Internet: em 1996, eram 170 mil usuários e, em 2001, 12 milhões. Além disso, Fernando Henrique ressaltou a entrega de declarações de imposto de renda pela Internet, meio já utilizado por 95% dos contribuintes.

“Nisso (Imposto de Renda), nós somos imbatíveis”, enfatizou, arrancando risos da platéia. Estava referindo-se ao fato de que em uso otimizado dos computadores domésticos os brasileiros levam vantagem sobre cidadãos de todo o mundo, inclusive para votar em eleições.

O Brasil está entre os três países em desenvolvimento que mais cresceram em termos sociais na década de 90. Os dados são da pesquisa feita pelo Banco Mundial e citada pelo ministro da Fazenda Pedro Malan, ontem, no seminário internacional Estratégias para a Superação da Pobreza, promovido pela Secretaria de Estado e Assistência Social do Ministério da Previdência.